Glaucoma

Você sabe o que é glaucoma?

A doença é famosa não apenas por ser difundida na mídia, mas também pela sua incidência. Segundo estimativas da (OMS) Organização Mundial da Saúde, cerca de 60 milhões de pessoas são portadoras de glaucoma em todo o mundo. A doença é a segunda maior causa de cegueira, perdendo apenas para a catarata.


Segundo dados do CBO - Conselho Brasileiro de Oftalmologia, mais de um milhão de pessoas sofrem com o glaucoma no Brasil. Porém, acredita-se que mais da metade não tem conhecimento da doença, correndo o risco de perder a visão. Isso acontece porque o glaucoma é uma doença silenciosa e tem evolução lenta.

 
O glaucoma é uma doença ocular relacionada ao aumento da pressão intraocular, é causada por alterações no fluxo do líquido que preenche parte do órgão. O distúrbio atinge o nervo óptico, estrutura responsável pela nossa capacidade de enxergar, e destrói as células da retina que enviam os impulsos nervosos ao cérebro. A doença vai degradando lentamente o nervo óptico e, aos poucos, essas fibras vão morrendo, até que a visão seja totalmente comprometida.


O perigo do glaucoma é o seu desenvolvimento lento e assintomático. Muitas pessoas só percebem a doença quando ela já está avançada e comprometendo seriamente a visão – em alguns casos de forma permanente. Quando não tratada corretamente, a doença pode progredir para a cegueira. Por isso é tão importante a prevenção do glaucoma.

Fatores de riscos para o desenvolvimento do glaucoma
Apesar de estar associado ao aumento da pressão intraocular, outros fatores de risco podem ajudar no desenvolvimento do glaucoma. Entre eles podemos destacar os seguintes:
 
•    Idade acima de 60 anos;
•    Histórico familiar;
•    Diabetes tipo 2;
•    Traumas oculares;
•    Espessura corneana central reduzida;
•    Graus elevado de miopia;
•    Alterações súbitas na pressão ocular;
•    Inflamações oculares;
•    Uso contínuo de colírios com corticoide.

Vale também apontar que o glaucoma é mais comum em pessoas negras e asiáticas.

Quais são os tipos de glaucoma?
O glaucoma pode ser dividido em quatro tipos: o de ângulo fechado, o de ângulo aberto, o congênito e o secundário.
 
•    Glaucoma de ângulo fechado: este tipo da doença acontece quando a saída do fluido é bloqueada subitamente. Desse jeito, a pressão intraocular aumenta muito mais rápido, causando muita dor.
•    Glaucoma de ângulo aberto: é a forma mais comum da doença. Surge gradualmente e, aos poucos, a drenagem do olho vai diminuindo, aumentando a pressão intraocular e lesionando o nervo óptico.
•    Glaucoma secundário: é aquele causado por fatores externos. A diferença dessa vertente para os outros tipos de glaucoma se dá pela sua ocorrência. Ela pode ser consequência do uso excessivo de determinadas medicações ou como sintoma de outras doenças oculares.
•    Glaucoma congênito: é o tipo raro e se trata de uma doença hereditária. A criança já nasce com o glaucoma e a pressão intraocular sofre alterações ainda na formação do feto. É essencial que a doença seja diagnosticada o mais rápido possível para que a visão não seja prejudicada. 

Como é feito o diagnóstico do glaucoma?
 
O glaucoma pode ser diagnosticado através de exames simples e mais complexos como:
 
1.    Tonometria;
2.    Oftalmoscopia;
3.    Campo Visual Computadorizado;
4.    Gonioscopia binocular;
5.    Paquimetria ultrassônica.

Prevenção do glaucoma:
•    Tenha uma alimentação saudável, diversa e rica em vitaminas;
•    Pratique atividades físicas, elas podem ajudar a reduzir a pressão ocular;
•    Beba água na medida certa, o excesso de líquido pode aumentar temporariamente a pressão dos olhos;
•    Visite regularmente um médico Oftalmologista, o glaucoma precisa ser monitorado e avaliado constantemente para evitar a perda da visão.


 
Exercícios naturais:


Estimular a visão periférica;
Olhar perto e olhar longe, piscando os olhos;
Sunning  (Ensolar);
Automassagem

     Entre em contato e marque um atendimento com um profissional para dar início aos exercícios para o seu problema de visão através do botão abaixo.

  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube