Miopia

O que é a miopia?

A miopia pode se desenvolver gradualmente ou rapidamente, muitas vezes piora durante a infância e adolescência. A miopia tende a afetar membros da mesma família. Pelo menos 30 a 40% da população ocidental é afetada com miopia, segundo a Sociedade Brasileira de Oftalmologia.


Causas
Para focar as imagens, o olho se baseia em duas partes críticas:
•    A córnea, a superfície frontal transparente do olho
•    O cristalino, uma estrutura clara dentro do seu olho que muda de forma para ajudar no foco dos objetos.
Num olho com a forma perfeita, cada um destes elementos de focagem tem uma curvatura lisa, como a superfície de uma esfera. A córnea ou cristalino com tais curvas de superfície de curvatura refrata toda a luz recebida da mesma maneira e faz uma imagem perfeitamente focada na parte de trás do olho.
No entanto, se sua córnea ou lente não é uniforme e curva, os raios de luz não são refratados corretamente, e a imagem não fica igualmente focada. Isso faz com que a visão pareça borrada, dando origem a miopia.
A miopia pode ocorrer quando a córnea é curva demais ou, mais comumente, quando o olho é mais longo do que o normal. Em vez de estar focado justamente na retina, a luz é focalizada na frente desta, resultando em uma aparência borrada para objetos distantes.


Fatores de risco
O principal fator de risco para a miopia é a hereditariedade. Hoje, acredita-se que o estresse visual excessivo e prolongado decorrente de atividades que exijam um maior uso da visão de perto possa estar associado a um fator de risco para o desenvolvimento da miopia.


Os sintomas de miopia podem incluir:
•    Visão embaçada quando se olha para objetos distantes
•    A necessidade de apertar os olhos ou parcialmente fechar as pálpebras para ver claramente
•    Dores de cabeça causadas por fadiga ocular excessiva
•    Dificuldade ao dirigir um veículo, especialmente à noite.
A miopia é frequentemente detectada pela primeira vez durante a infância e é comumente diagnosticada entre os anos escolares. Uma criança com miopia pode:
Apresentar estrabismo; Precisar se sentar mais perto da televisão, tela de cinema ou na frente da sala de aula; Mantem livros muito próximos durante a leitura; Parece não ter conhecimento de objetos distantes; Pisca excessivamente; Esfrega os olhos com frequência.


Adultos
Se você está em alto risco de certas doenças oculares, como o glaucoma, faça um exame de vista a cada 2 anos, até 40 anos de idade. A partir dessa idade, faça exames anuais. Se você não usar óculos ou lentes de contato, não têm sintomas de um problema ocular e não está em risco, recomenda-se que você faça um exame ocular nos seguintes intervalos:
•    Um exame inicial aos 40 anos
•    Entre as idades de 40 e 54: a cada 1 ou 2 anos
•    A partir de 55: anualmente.
Se você usa óculos ou lentes de contato, é provável que você precise fazer consultas médicas regularmente. Pergunte ao seu oftalmologista com que frequência você precisa agendar seus encontros. Mas, se você notar algum problema com a sua visão, marque uma consulta com o seu oftalmologista assim que possível, mesmo se você fez recentemente um exame de vista. Visão turva, por exemplo, pode sugerir que você precisa de uma mudança de prescrição, ou pode ser um sinal de outros problemas oculares.


Crianças e adolescentes
As crianças precisam ser rastreadas para doenças oculares e ter sua visão testada por um pediatra ou um oftalmologista nas seguintes idades e intervalos.
•    Durante o período de recém-nascido em visitas de rotina
•    Até a idade escolar em visitas de rotina ou quando surgir algum sintoma
•    Durante os anos escolares, cada 1 a 2 anos.
Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para a Dra. Juliana Rocha, oftalmologista do Visão Institutos Oftalmológicos, em Brasília, algumas perguntas básicas incluem:
•    Será necessário usar lentes corretivas?
•    Quais são os benefícios e desvantagens de óculos?
•    Quais são os benefícios e desvantagens das lentes de contato?
•    Com qual frequência devem ser feitas consultas de acompanhamento?
•    Tratamentos mais permanentes, como a cirurgia do olho, uma opção?
•    Se assim for, o que você recomendaria?
•    Quais os tipos de efeitos colaterais possíveis desses tratamentos?


Todas as cirurgias têm algum grau de risco; possíveis complicações desses procedimentos oculares incluem infecção, cicatrizes na córnea, visão turva, perda de visão e aberrações visuais, como ver círculos ao redor das luzes à noite. Discuta os riscos potenciais com o médico.


A miopia pode ser associada a várias complicações, tais como:
•    Redução da qualidade de vida
•    Fadiga ocular
•    Segurança comprometida, aumentando risco de acidentes de trabalho ou de trânsito
•    Glaucoma
•    Em casos graves, pode ocorrer rasgo e descolamento da retina.
•    Hipertensão e diabetes


Tratamento Natural:
Um dos exercícios para miopia é:
"Alternar olhar para bem longe, meia distância e perto, 1 minuto em cada distância, repetir por 3X, depois olhar para o mais longe que puder e focar em algum lugar por 1 minuto, fechar os olhos por 1 minuto e imaginar esse lugar bem perto de você, abrir os olhos e  repetir por 3X."

     Entre em contato e marque um atendimento com um profissional para dar início aos exercícios para o seu problema de visão através do botão abaixo.

  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube